Blog

Postado por: Konectya | fevereiro 20, 2019


A economia colaborativa é o movimento/tendência econômica e comportamental que aproxima pessoas, grupos, empresas e instituições diversas com necessidades e objetivos complementares.

Por meio de permutas, trocas, compartilhamento e aluguel, propõe-se a melhor utilização de equipamentos, veículos, espaços residenciais e comerciais, recursos financeiros, habilidades e conhecimentos.

São vários os exemplos de negócios que seguem essa linha e já fazem parte do nosso dia a dia, como Wikipedia, Airbnb, Linux, Uber, Yellow, Zipcar, para ficar em alguns apenas.

Todos eles nos ajudam a atender a economia colaborativa e a enormidade de ganhos possíveis em geração de trabalho e renda, difusão de conhecimento, mobilidade, utilização de recursos naturais e combate a desperdícios.

“Sim, mas todos estes exemplos são negócios. Como colaborar em comunidade, na minha rua ou bairro?”

No livro Colaboração Criativa, Robert Hargrove descreve a colaboração como um ato de criação conjunta ou descobrimento. Segundo ele, “pessoas que colaboram são aquelas que identificam uma possibilidade e reconhecem que o seu próprio ponto de vista, perspectiva ou talento não é bastante para torná-la uma realidade. Elas necessitam dos pontos de vista, das perspectivas e do talento de outros”.

Dessa forma, o caminho à colaboração em comunidade passa pela integração de visões, objetivos e esforços. Podendo ser organizada em 6 passos básicos:

1. Observação: Identificar as necessidades da comunidade que precisem ser supridas ou combatidas.

2. Interação: Conhecer as pessoas que formam a comunidade para compreender melhor a realidade e descobrir  objetivos comuns.

3. Escolha: Definir, preferencialmente em grupo, o “problema” a ser atacado e vencido.

4. Mobilização: Ampliar o grupo com mais pessoas que compartilhem o objetivo de vencer o problema.

5. Execução: Após planejar bem a iniciativa, os recursos e esforços necessários, as responsabilidades e as metas, é hora de atacar o problema de forma definitiva.

6. Divulgação: Contar ao maior número de pessoas a história da iniciativa, os êxitos alcançados e as lições que foram aprendidas para inspirar novas iniciativas.

Todas essas ações devem ser impulsionadas pela tecnologia existente nas plataformas, sites, redes sociais e aplicativos, os quais podem ser ferramentas eficientes e ágeis de colaboração.

Por fim, para exemplificar, os benefícios da colaboração comunitária podem ser vistos em iniciativas como a do Quintal Mimoso, onde vizinhos se juntaram para transformar um lixão em jardim; na ação conjunta de mães para a melhoria do Parque Renato Azeredo; ou na união de uma comunidade para levantar recursos para o tratamento neurológico de uma criança. Todas estas histórias estão contadas na plataforma www.konectya.com.

E você, está pronto para colaborar?

Acesse www.konectya.com e conheça iniciativas que transformam e impactam comunidades.

#SejamosMudança

Grande abraço,

André Viana de Paula
andre@konectya.com
www.konectya.com